OCINÓRI - A Tasquinha do Irónico

quarta-feira, agosto 30, 2006

CERES - A crise dos urinóis!

Quem é que de vocês nunca viu uma retrete ou um urinol da CERES? Quem (homens) numa das casas de banho públicas numa qualquer estação de serviço nunca se deleitou a urinar percorrendo, letra a letra, as letrinhas CERES...? (Ok! Ó rui sei que não lês as letrinhas, nem contas os buracos dos urinóis... deixa de espreitar as pilas dos outros...!).
À uns meses fui confrontado com o facto de a CERES, que tem a unidade de produção bem perto de minha casa, ter falido... facto que me leva a pensar... “ Então Joaozinho! Andas para aí a mictar em urinóis que ainda não estão pagos?” Pois bem, ora se a CERES faliu... é porque tem dívidas, ora se tem dívidas é porque não lhe pagam... ora se não lhe pagam... eu estou a urinar num urinol “fiado”! Será que foram 1, 2 17, 58, 5428 urinóis que a CERES deixou de receber do cliente que a fizeram falir? Será que é a 1, 5, 10 anos que não paga às finanças, à segurança social...?
Será que o Estado não prevê antecipadamente que algo está mal numa empresa que tem mercado, património, mas não paga os impostos à anos até se tornar uma situação insustentável e... abrir falência?
Um dia em conversa com o meu amigo Costa da Auto IC2, que esteve radicado no Luxemburgo uns anos percebi que cada vez que uma empresa nesse país se atrasa no pagamento de qualquer imposto, de imediato são enviados pelo estado auditores à empresa prevaricadora para investigar os porquês... e só saem da empresa assim que esta for recuperada novamente e seja uma empresa competitiva no mercado... ou seja o estado investe e 2 ou 3 auditores (leia-se funcionários públicos) para evitar pagar 20 ou 30, ou 300 subsídios de desemprego aos funcionários da empresa que poderia eventualmente vir a falir!Ó Socrates... vais-me dizer que nunca urinaste num “CERES”?

3 Comments:

  • Eu sempre achei que isto de ter pilinha dava uma certa vantagem ao ser humano... E, afinal, sempre se confirma que o género masculino vai buscar a sua inspiração aos Wc´s!

    Eu acho que o Sócrates nunca viu a marca dos urinóis porque, ele sim, tá o tempo todo a olhar para os utilizadores do lado..... Mas, sabes JP, eu acho que se o Sócrates conseguisse encontrar um só que fosse funcionário público (auditor) capaz dessa tarefa, ele próprio o contratava p o ajudar a gerir, n só essa empresa mas, sim, o país todo! É q os estrangeiros, já aprenderam a fazer disto colónia de férias e os portugueses não fazem ideia do real significado da palavra "auditoria" – salvo raras excepções, mas essas andam sempre ocupadas com o blog do tentini

    Tenho dito! ;)
    Lanka

    By Anonymous atnçao q sto é 1 elogio!, at 7:51 da tarde, agosto 30, 2006  

  • JP, os meus parabéns por este post cheio de urinóis. Confesso que nunca urinei (conscientemente) num CERES e pelos vistos se não me despacho nunca o conseguirei fazer. Também confesso que quando vou ao urinol a minha preocupação não é bem ver a marca mas sim tentar fazer o serviço o mais limpamente possível. Sabes que cá por baixo isto anda cheio dos chamados "panascas de urinol", pelo que o acto urinatório é quase uma acção de guerrilha, do género entrar à socapa, fazer o servicinho e bater (aqui o termo talvez não seja o mais feliz) em retirada depressinha, evitando qualquer tipo de baixa.

    By Blogger Rafeiro Perfumado, at 10:27 da tarde, agosto 30, 2006  

  • Bem confesso, que quando vou mandar a minha mijinha da praxe (principalmente nos privados publicos por causa da cerveja) o meu desejo é fazer o serviço e ala que se faz tarde! Estes privados são demasiados concorridos e alguns deles têm um cheiro tão activo por causa das bolas de naftalina, que mais parece que estou a mijar num guarda fatos! Claro... um jornal na casa de banho dá outra vivência à nossa vivência vegetativa na casa de banho e nos locais publicos, os unicos pedaços de jornal que encontro, são pequenos rasganços dos classificados (as massagens estão a ver?)!
    Enquanto houver muitas pessoas a ganhar rios de dinheiro e a deixarem vender a alma ao diabo e o país ao estrangeiro... e gestores de meia tigela, na qual somos obrigados a tratá-los por Sr. Drº só demonstra uma fraqueza de falta de ego e estupidez inerente ao "não saber fazer nada de jeito"... e assim, nunca um auditor será uma tábua de salvação de qualquer empresa!

    By Blogger Tentini, at 11:37 da manhã, agosto 31, 2006  

Enviar um comentário

<< Home