OCINÓRI - A Tasquinha do Irónico

segunda-feira, outubro 09, 2006

PARA ME CONHECER MELHOR...

Quando vemos teias a serem construídas… pedaços de nós se perdem e se misturam numa dança lenta de se construir algo na vida, passando um pouco o significado de nos sentirmos aranhas na construção de algo. Sabendo à partida que tudo na vida é momentâneo, fugaz e que a felicidade não é mais do que uns breves minutos ao se atingir (se alguma vez conseguimos) a própria evolução e desenvolvimento do ser.
Sentir algo criterioso que nos apela há nossa existência daquilo que realmente somos. Para me conhecer melhor… existem espaços temporais que nos levam a pensar como somos, o que queremos, ambicionamos na busca de resposta para um prolongamento de poucos instantes em que realmente nos sentimos felizes! Pode-se sonhar e ter esse instante, como o jorrar da mais límpida água que vai matando a sede do nosso ser… e para me conhecer melhor necessito desse humanismo das palavras escolhidas por Dostoiesvki, da busca de Herman Hesse, da simplicidade de Hemingway, da forma poética de Fernando Pessoa, da elegância de Sebastião da Gama ou da pureza de Ruy Belo… acaba-se… e acaba-se um momento de felicidade e encontramos mais um trilho… nessa procura!
Sentir a irreverência das notas musicais dos The Doors, a violência compositora dos System Of a Down, o voar entre acordes de Mike Oldfield ou o escutar a voz melódica de Katie Melua… e, mais uma vez, por breves segundos atinjo esse trilho de me sentir completo… até acabar a melodia que me encerra… num novo começo na procura de respostas!
Tudo é tão fugaz!
Pode durar mais do que breves minutos, quando entramos como espectadores da nossa alma e nos revisitamos na apreciação de qualquer quadro de Goya ou de Hieronymus Bosch… pode-nos causar uma enorme dúvida no poder de decisão de cada um dos trilhos a optar! E por outros breves instantes pode-se ter o sonho de poder voar pelas asas de Pégaso na identificação comprometedora de que somos parte integrante de um filme de Steven Spielberg ou de Marco Martins… na expectativa de, não as asas mas sim a mente, se derreter à medida que nos encontramos no capítulo final de se encontrar a verdadeira essência da vida!
Nada é efémero!
Podemos sentir a felicidade a transbordar os nossos poros por cada abraço, seja ele tornado pela simplicidade do acto de tocar, seja pelo encurtar as distâncias que deslumbram por montes e vales… que nos servem somente para encarcerar o corpo e dar significado das coisas triviais que nos une. Simplicidade de um sorriso… simplicidade no transporte… para sentirmos essa felicidade de se ser amigo!
Venha essa ceia entre todos que têm um fundamento de partilhar várias almas…. Várias fases d’ alma!
Para me conhecer melhor…
Venha a refeição, os amigos, a musica, a corte… Venham os lábios para se viver o momento… Venha a lágrima para se afundar o sentimento… Venha a salinidade dessa gota que tempera os movimentos em torno desses breves segundos… Ter-te!
São com esses breves segundos (podem ser minutos, horas ou dias) que o silêncio começa amordaçar a santa realeza do pensar… o tumulto dos sentimentos alteram-se no caminhar do perfil da própria essência do ser.
Para me conhecer melhor… sabendo que a felicidade só dura o que realmente nós queiramos que ela dure… podendo atingir um ponto máximo quando negamos a luz da passagem e estendemos a vontade da sublime rendição da vida!
Não sou simples… e nessa simplicidade vou vivendo!
Tudo… para me conhecer melhor!



(não liguem… um desabafo sobre a felicidade duradoura que nunca hei-de atingir! Nem eu… nem ninguém!)

5 Comments:

  • (Tentini, não ligues tb ao que eu vou dizer)
    (Essa do Pegaso fez me lembrar o "Pegaso Mágico" da Barbie)
    (So masoquistamente podemos desejar um segundo de felicidade sabendo que os restantes 59 segundos do minuto vamos viver no tormento da sua ausencia)
    (sabes aquela do cego q desejou voltar a cego quando conseguiu ver?)
    (tb Jesus, Nosso Senhor Jesus Cristo, disse "bem aventurados os ignorantes e fracos de espirito" -sem a procurarem já a têm)
    (Não, não quero um segundo de felicidade. Quero uma vida de sobrevivência. Quero não desejar para não viver no tormento do q poderia ter e n tenho)
    (Não, n quero sonhar quando o sonho me faz viver em fantasia,mesmo q isso me desse direito a um lugar no Julio de Matos)

    (Não, não gosto de ver montras quando não tenho guito na carteira)

    (Mas adoro batatas com azeite e vinagre e uma arinha de sal!!)

    Lanka

    By Anonymous ..., at 11:21 da tarde, outubro 09, 2006  

  • Pegaso Mágico? Ainda brincas com isso Dona Lanka?
    E não é melhor viver 1 segundo de felicidade do que não a ter?
    Relativa ao cego... sei... Cegou-se!
    Jesus Cristo foi boa pessoa... não o metas nesta conversa!
    Fogo... vida de sobrevivência! Assim é que se acaba no Julio de Matos ou no Sobral Cid!
    Também gosto de uma boa feijoada à transmontana... principalmente de Inverno e dá-me gás para por a funcionar o jacuzzi!

    By Blogger Tentini, at 2:41 da tarde, outubro 11, 2006  

  • ..as vezes n sei se es mesmo assim como mostras ou se te esforças por o ser...

    :)
    Lanka

    By Anonymous ..., at 9:43 da tarde, outubro 12, 2006  

  • Ás vezes sou assim... Outras vezes sou feliz... e Outras vezes as pessoas fazem-me infeliz... Não esforço para ser algo! Deixo apenas escorrer os sentimentos sinceros...

    By Blogger Tentini, at 11:42 da manhã, outubro 20, 2006  

  • Acho que estamos na mesma onda.
    Acho que nos acontece o mesmo...

    Temos momentos, no meu caso, filhos, que nos levam ao ceu, e depois, momentos menos conseguidos, ou totalmente não conseguidos, com o parceiro, que nos fazem pensar se vale a pena lutar por uma parceria so por um motivo, que nos une.

    Vivo, actualmente, com esse dilema.
    Com o afastamento da minha familia de sangue, por inerencia do relacionamento, para evitar males maiores para uma criança que sabe que e amada pelos pais, mas que, pelo menos para a minha familia de sangue, nao se encontra disponivel, nao na totalidade da familia, mas a pessoas que ja lhe foram chegadas e que ajudaram, e, agora que ja nao podem ajudar ja nao interessam, nao contam...

    Tudo a bem da criança...

    Valera o esforço???????????????

    By Anonymous Anónimo, at 2:34 da tarde, dezembro 24, 2006  

Enviar um comentário

<< Home