OCINÓRI - A Tasquinha do Irónico

sexta-feira, junho 23, 2006

SER PROFESSOR


Já aqui foi batido pelo Tente mas não resisto a retomar o tema.
Um conjunto de coisas relacionadas com a organização do país foi simplesmente esquecida nos últimos anos. Isto andou a modos que em autogestão. Nada se fez: ao invés fingiu-se que se fez alguma coisa - mas em substância não se fez nada. Aconteceu um efeito bola de neve - mas em versão merdosa.
Na área da Educação fingiu-se que se fez (dizendo que se fazia) várias reformas. Se calhar era um tema apetecível e então, tumba - reforma-se. Na verdade até se fez alguma coisa: estragou-se o que havia.
Tenho reflectido algumas vezes sobre o papel dos sindicatos. Se não fossem eles, o que temos hoje em dia, considere-se muito ou pouco, não se teria. Contudo, qual é ou qual deve ou qual pode ser o papel dos sindicatos hoje em dia? E o que deve ser um sindicato de professores? Por que se deverão bater? Deveriam ser simplesmente extintos?
E a mentira que o Estado tem permitido ao manter abertos cursos redundantes e/ou inuteis e/ou (pior) sem futuro? O Estado engana a rapaziada que investe dinheiro, tempo e vidas em cursos - e depois vão para professores? É assim? Só isso? Que professores serão estes tipos?
= Acredito que só uma parte se estraga. É que temos de encarar esta profissão como sendo ESPECIAL. E só isto já deve ser o maior estímulo.=
E os pais, que pais temos hoje em dia? Pais que levam vidas bicéfalas (pelo menos) em que têm que dar 100% a uma carreira e 100% á família. Pois aqui no meio alguém vai perder e eu até sei quem é na maior parte dos casos.
E o papel dos professores, presentemente, qual deve ser? Meramente professores? - ou de educadores num sentido mais amplo?
E que tipo de carreira, que condições decentes deve o estado oferecer a estes profissionais que deveriam ser gente excepcional? Precaridade a vida toda? Fazer contratos a prazo durante 20 anos? Porque raio não se trata esta profissão como uma carreira a sério?
Eu não quero entregar os meus filhos a tipos que se licenciaram num curso para o qual entraram porque era a solução mais fácil; que foram para o ensino porque era a única saida profissional do curso; que não receberam preparação adicional, nem técnica nem humana; a quem a entidade empregadora não dá condições decentes de trabalho nem um sistema de recompensas que os faça sentir motivação; cujos programas que ministram mudam odos os anos ao sabor das mudanças de governos; e sobretudo um sistema de ensino que não está para me aturar.
Senhores do Governos (lá estou eu outra vez a apelar aos gajos): aproveitem enquanto aqueles que são professores a sério não se fartam desta porcaria e não se reformam todos e recolham os bons contributos. JÁ!
Aqueles que são bons devem, por um lado, sentir esperança, por outro, sentir um grande desalento. Mas os chupistas, o pá, ponham-se a milhas que eu não posso nem vê-los!
(não tenho pachorra para rever isto. quem detectar erros atreva-se a informar sff)

24 Comments:

  • Não me apetece comentar o texto. Agora o desenho, tem muito que se diga. A preocupação em tornar as escolas mais iluminadas, com muitas janelas, simetria quanto baste, duas saídas, uma em cada lado da casa, parece-me muito bem, temos ali edifício capaz de potenciar as mentes dos jovenzinhos. Agora o recreio, Jesus! Aquilo é uma armadilha, pá! O baloiço, para além de perigoso, parece-me bastante desconfortável. Não esquecer que aquilo é malta em crescimento, e tem de ter uma postura correcta sob pena de vir a ter problemas no futuro, com baixas ssucessivas no emprego e tal. Depois não se admirem quando tiverem um empregado que se desculpe de não ir trabalhar por ter andado num baloiço torto quando era novo!

    By Blogger Rafeiro Perfumado, at 11:35 da manhã, junho 24, 2006  

  • Confesso que negligenciei o boneco. Não fui eu quem o fez, mas está bonito. Vê-se que a ergonomia é uma preocupação do artista e o sol a sorrir é um ícone da infância.
    Boa, rafeiro!

    By Blogger Gustavo, at 4:09 da tarde, junho 24, 2006  

  • Só quero dizer uma coisa. Eu sou educadora de infância por gosto e não porque como ja ouvi alguém pronunciar "por ser um curso facil" ate tinha média para outro, mas o meu sonho era esse e quiz concretiza-lo. Desengane-se quem pensa que é fácil senão que experimente e vao tira-lo depois ja sabem!! è uma pena que no nosso país nao nos deiam o devido valor por isso tive de me mudar para a América onde o meu talento tem sido bastante reconhecido em mais que uma escola. Portugal não dá valor aquilo que tem, pena.......pois eu gostava de poder exercer a minha profissão em Portugal.

    By Blogger carla, at 10:07 da manhã, junho 26, 2006  

  • "não nos deiam valor" ... uhm.. estou aqui a tentar descobrir, com os meus botões, qual será o tempo verbal em que este verbo (deiam) se encontra conjugado...

    By Anonymous Anónimo, at 6:53 da tarde, junho 26, 2006  

  • "o tempo verbal conjugado".....para quem ja se habituou a viver fora de Portugal quase um ano e a ter muitos elogios e a trabalhar com criancas com necessidades educativas especiais onde voluntariei durante este ano lectivo mostrou-me o valor de ser uma EDUCADORA DE INFANCIA com muito orgulho!!!!!!!
    Durante este tempo melhorei significativamente o meu ingles o que me proporcionou ter uma maior flexibilidade de estagiar em escolas primarias.
    Pelo menos eu dou a cara quando se trata de um assunto serio como este!!!
    Nao se rebaixem a insignificancia de certas pessoas que so querem ver-nos na lama....
    O que seria dos seus filhos sem as Educadoras de Infancia!!!!!
    "Errar e Humano" e se alguem e perfeito pelo menos k pelo que nao se esconda atras de um anonimato... Alem disso, a unica pessoa perfeita e DEUS!!!

    By Blogger carla, at 8:08 da tarde, junho 26, 2006  

  • Boa adorei!!!! Se isto é um blog para comentar podemos dizer o que queremos e quando queremos, para isso nos permite comentar. Sabes às vezes era melhor nem comentarem.
    porque para se ficar no anonimato é sinal que se esconde alguma coisa. Deve ser a vergonha de darem a cara.....afinal ainda tou a pensar para com os meus botões o porquê de uma critica anónima, se é anónima é sem jeito, coitaaaaaaaaadooooooooooooooo!!!!!!
    Deve ser mesmo como dizia os meus avós "uns medricas". Para a próxima identifica-te, porque assim fico com serias duvidas que sejas mais inteligente!!!!!!! Eu quando comento nunca ligo aos erros, nem expressões por isso....

    By Blogger Kelly, at 8:19 da tarde, junho 26, 2006  

  • Um. Antes de mais, congratular esta gente toda pois tornaram esta posta a mais comentada do blog.
    Dois. O bom disto é termos todos razão. Com mais ou menos ironia, mais ou nemos anonimato, mais ou menos calinadas na gramática, mais ou menos proximidade geográfica: é excelente receber todos os contributos!
    Três. Este assunto da Educação é de facto muito complexo pois o que está em causa vai desde questões políticas, a questões sociológicas; trabalhar (com) pessoas é uma tarefa muito exigente e de elevada responsabilidade. Daí a necessidade de agentes educativos "especiais".
    Um grande bem haja e um particular saludo transatlantico para a Carla.

    By Blogger Gustavo, at 10:47 da tarde, junho 26, 2006  

  • Bem, vou me juntar a esta lista q parece não acabar……….
    Tentini, comento aqui tb o teu texto.
    O blá blá blá dos porquês, nem me interessam! Mas deixem me desabafar um pouco. Enquanto mãe, enquanto mãe e enquanto mãe. Upss, esquecia me, e enquanto edocadora ( sim, edocadora, os erros são permitidos , e como estou em Lisboa há 10 anos, sabem, aqui fala se um português diferente- e, reparem q vou assinar isto, assim já sabem qual dos 5 milhoes de portugueses eu sou!).
    Ai, ai….. o silêncio é realmente de ouro………e por isso Portugal é tão pobre!
    Quantos professores há em Portugal? Não faço ideia, mas pela Teoria das Probabilidades, analisando em conjunto com o Desvio Padrão e associando ao Teorema das Funções Derivadas Inversas, acho q posso falar do meu conhecimento na matéria.
    E ai de quem colocar a carapuça! Sim, porque aquilo q eu vou dizer são casos raríssimos, sem exemplo e aplicação!
    Eu até começava pelo meu caso, mas tinha q comentar 32 anos de vivência com estes profissionais exemplares… que são os meus pais! Também lá estavam os professores mas só me lembro deles quando dou calinadas.
    Falemos da escola primária da Granja, algures a 10 km de Lisboa.
    Duas salas, quatro classes, dois professores, uma auxiliar, uma sala q se usa de refeitório, biblioteca e sala de recreio, um espaço enorme no exterior, bem arquitectado, bem vedado, portões fechados, um parque infantil ao lado, com tudo a q têm direito. Agora, uma professora q ensina na 1ª e 2ª classes. Uma professora q tem 12 anos de ensino, foi p esta escola neste ano lectivo e já está efectiva. Relembro, uma escola com médias a boas condições, a 10 km de Lisboa. Primeiro dia de aulas. Faltou. Segundo dia de aulas. Faltou. Continuando. No inicio do ano, a Junta de Freguesia (que se esforça um pouco de dar apoio social) pagou do bolso dela livros para todas as crianças q estavam inscritas na 1ª e 2ª classe. São poucos, é verdade, mas tavam lá os livrinhos todos, e mais, eram livros actualizados conforme o programa lectivo. Primeira decisão da Senhora Professora Efectiva e a leccionar há 12 anos. “Não quero estes livros!” Estão aqui as editoras q quero q me paguem as férias por isso quem n comprar os livros lá n entra na sala. Boa, excelente. Firmeza! Nada de facilitar a vida a ninguém! Isto é educação! Mas, claro q o parvalhão do presidente da junta é q é culpado! Tantos buracos na estrada p tapar e gastou dinheiro naquilo! E não só! Os parvalhões dos pais também têm culpa! Eles deviam era ter pago logo o bilhete de ida sem volta para aquela excelente profissional! E, claro, dadas as faltas q aquela excelente profissional fez ao longo do ano lectivo, os putos na Páscoa ainda estavam a aprender o “a,e,i,o u”.
    Outra decisão muito importante q esta excelente profissional teve foi, tb, na primeira semana. Reuniu os encarregados de educação para dizer q nunca tinha tido crianças na 1ª classe q nunca tinham ido ao jardim-de-infância, por isso n se ia responsabilizar se eles n progredissem muito! Ela estava habituada a lidar com crianças q já sabiam fazer o nome pois desde cedo eram empurrados para os jardins-de-infância e como tal os pais é q iam ter q fazer o trabalho dela! (agora n posso continuar a falar nela, tou agoniada)

    A minha filha… julgamos ter encontrado uma escola promissora. Q não aquela né??
    Precisava de umas quantas páginas de Word p falar sobre isto mas, o saldo até agora é positivo, a escola é excelente mesmo, tem óptimas condições e nunca conheci um autarca q se entregasse tanto ao campo da educação. Claro q 8 meses depois vejo as coisas de forma diferente. Isto é como o amor, uns tempos depois começam a receber se as verdades (vulgo, defeitos).

    As vezes estou no parque ao lado, com a minha filha, e vejo outro piolho a correr, franzina, mesmo pequenina mas para aí com 3 anos. Sabem aquela voz esganiçada q ate faz esvoaçar os pássaros? É a mãe dela a dar ordens de comando. E sabem o q eu descobri? Q ela é uma das educadoras da primária naquela escola! Claro q vou ter q repensar bem se a minha filha vai passar lá a primária! Fonix!!

    Hoje fui buscar o meu piolhinho e fiquei lá um pouco na quadrilhice com a auxiliar do prolongamento (graxa né). Eu e mais uma espécie de ama q vai lá buscar 4 miúdos ate virem os pais. Bem, quando eu vejo aquele chinelo a saltar do pé pensei “tá com calor nos pés!” e quando pensei q ele iria voltar rapidamente para o lugar dele percebi q ele tava era com vontade de calçar as pernas do puto q tava sentado ao meu lado!! “Tas quieto ou não?? Tu sabes q eu sou má! e este chinelo não é só para enfeitar os pés! – não pode ser, desabafou ela comigo, qualquer dia batem me eles a mim!” eu estava chocada! Envergonhada. Eu só queria tapar os olhos à minha filha.
    Escusado será dizer que aquela pessoazinha é simplesmente a Presidente da Associação de Pais daquela Escola.

    Tadinhos destes profissionais. São tão mal tratados pelo país…
    Escrevam mais sobre isto por favor. Tenho 5.000 coisas mais atravessadas para dizer.

    Cumpts,
    Lanka
    Ana, cidadã número 29999985, arquivo de Bragança

    By Anonymous Lanka, at 8:46 da tarde, julho 07, 2006  

  • No final do texto anterior, inseri outro componente importante neste processo da educação. Os pais.
    É obvio q quando falamos de profissionais da educação, por ex, os professores, eles não têm como principal função o exercício do poder paternal ou maternal! Acho q isso é obvio para todos. E sem duvida os pais hoje em dia e, se calhar, sempre, de uma forma ou de outra, descartam as responsabilidades p outros q n eles (os bem intencionados em tudo).
    Agora, Senhores Professores, os putos estão com vocês horas e horas seguidas, a grande maior parte do ano. Será q é difícil vocês conseguirem que eles vos respeitem??
    A maior parte dos pais n teve acompanhamento nem formação para serem pais, agora vocês gastaram rios de dinheiro ao país p aprenderem a formar e informar as crianças e jovens do nosso país! Nós já n queremos q eles deixem de atirar papeis p o chão, mas pelo menos, façam o favor de se fazer respeitar na sala de aula! E depois, queiram exigir respeito ao resto do país.

    Os pais.
    Dois exemplos.
    No outro dia, naquelas andanças de compras, supermercado, famílias inteiras a tropeçarem à nossa frente, ia uma mãe (acho eu) com uns sacos na mão e uma criança (uns 4/5 anos) a saltitar à frente dela. Tudo bem, sabem como são os putos de 5 anos, power rangers a tempo inteiro! Ouçam o q aquela mãe disse “João, pára com essas correrias, pareces uma criança!” PARECES UMA CRIANÇA? O puto devia ter 4/5 anos……! Pareces uma criança???!!
    Ok.
    No outro dia estava em casa de familiares e o meu piolho de 3 anos e a criança da casa de 6 estavam a brincar. Claro, de vez enquanto corriam feito avestruz derrubando tudo! A mãe muito naturalmente e de uma forma controladamente ameaçadora disse p a filha“ Catarina ou te portas bem ou vais te sentar na mesa a fazer copias de castigo!”
    Eu nem queria acreditar. “ouve lá, mas tu castigas a tua filha mandando a estudar??”

    Complicado. Deveras complicado.
    Por isso, professores q exercem a função com o devido respeito por ela e por eles têm todo o meu mérito. Se há profissão q tem realmente relevância no futuro de um país é essa.
    Mas posso dizer q ainda n entreguei muitos diplomas de mérito destes (tb não ando atrás deles!). Alguma coisa vai mal. E não são as crianças.

    Cumpts,
    Lanka

    By Anonymous Lanka, at 11:20 da tarde, julho 07, 2006  

  • Fosca-se, Lanka! Uma grande vénia!

    By Blogger Gustavo, at 11:45 da tarde, julho 07, 2006  

  • A senhora Lanka mais reforça duas ideias ja aqui debatidas...
    Quem decide anda de trela no pescoço para saldar a sua alma e pagar os pecados por desejar ocupar mais um reles cargo politico... Outra é, que hoje a maioria dos casais querem ter filhos pensando que podem culmatar a ausencia de um animal de estimação porque vivem num prédio.... Uns é sociedade que os molda, outros é educação que também os molda... resumindo... dá merda!!!

    By Blogger Tentini, at 3:36 da tarde, julho 08, 2006  

  • Mas que mania de mandar para cima dos outros responsabilidades que são nossas!
    Vontade politica… Pais comodistas… argh!
    A história reza sobre os inventores, sobre os descobridores! Sobre aqueles que do nada fizeram tudo! Que não se contentaram com o existente e entregaram as suas forças nas alternativas! Daqueles que perante o cenário desastroso ficaram e no anonimato lutaram e mudaram aquele pedaço que estava ao seu alcance! Foi a maça da árvore e não do supermercado que inspirou Newton!
    Tantas Carlas, que pregam ter vestido a pele da profissão mas decidem ir para onde o caminho já estava trilhado! Haverá melhor recompensa que desbravar terrenos bravios Carla?? N te sentirias mais realizada na carreira se em vez de tostões e viagens de avião recolhesses vitorias com as crianças portuguesas??
    Puro egoísmo, puro desrespeito pelas próprias palavras que se proferem!
    Sabes o que representas? Um número e não marcas qualquer diferença. E acredito que até estejamos a perder, enquanto portugueses, um grande talento.

    Leonardo da Vinci demorou 4 anos a pintar a Gioconda! Alguém alguma vez pensou que ele tinha chegado e, numa tarde iluminada, ao som dos Toranja, fez aqueles rabiscos?


    Sim sim, sei Tentini. Estou a fugir ao âmbito deste blog….. esquece lá isso! Eu prometo que volto a tomar os comprimidos...
    Cumpts
    Lanka

    By Anonymous me again!, at 7:44 da tarde, julho 09, 2006  

  • Não percebi isso dos Toranja? É bom ou mau?
    Para mim não passam mais de uma reles imitação da voz do Jorge Palma... Isso sim, um Grande Senhor!

    By Blogger Tentini, at 4:31 da tarde, julho 10, 2006  

  • tás tás.................

    By Anonymous Lanka, at 9:15 da tarde, julho 10, 2006  

  • Tas... Tas? Não percebi onde a senhora quer chegar... Bom!

    By Blogger Tentini, at 10:46 da manhã, julho 11, 2006  

  • OLHA desculpa lá Tentini mas à coisas que me deixam parva!!! Pessoas que pensam que sabem mais que as outras, coitadas......não devem contactar com profissionais sérios. Essa senhora se teve azar que escolha melhor a escola da filha, como em todas as profissões à bons e maus profissionais, não vamos colocar a todos na mesma balança, certo??!!
    E se saimos do nosso país é porque o nosso não nos dá hipótese de demostrar as nossas capacidades. Agora é preciso conhecer a realidade de todos para podermos falar!!! Desculpa Tentini mas isto ultrapassa-me......

    By Blogger Kelly, at 9:58 da tarde, julho 20, 2006  

  • Kelly: quando escrever "á coisas" as in "existem coisas" deverá escrever "há coisas".
    Concordo que não devemos colocar tudo no mesmo prato da balança - contudo, balança, apenas deve haver uma.
    Quanto à Lanka (é a quem se refere, correcto?), devo dizer que o que ela diz deve ser visto dentro de um contexto e atendendo a circunstancias que se intuem a partir do discurso - principalmente atendendo à emotividade com que foi escrito.
    Quanto às razões que levam as pessoas a sair do seu país, concordo consigo: mas há bem mais razões, não há?

    By Blogger Gustavo, at 11:30 da tarde, julho 22, 2006  

  • Bem desculpem la mas devo tar no blog errado!! Digam o que quiserem a mim não me afectam mais ate porque "vozes de burro não chegam ao céu". Se escreveu com emoção eu também, só que .... enfim não digo mais nada. Tudo que se diz já sei que é objecto de outras interpretações, não quero ser mal interpretada. Já agora, so mais uma pergunta, alguma vez estives-te desempregado??? è uma situação dificil!! Eu já estive e não gostei nada, por isso se nao conseguimos no nosso país vamos buscar outro, porque não?!! mas como ja sei que so vais olhar a erros, contenta-te com este comentario, nem sequer vou ler o que escrevi, tb deve ser o ultimo.
    Já agora, ainda vivemos em democracia!!!!

    By Blogger Kelly, at 8:49 da manhã, julho 23, 2006  

  • Sim, já estive desempregado.
    Não foi mesmo nada agradável.
    Felizmente resolvou-se.
    Sim, por várias ocasiões ao longo da minha (ainda curta) vida equacionei ir para fora de Portugal.
    please: acabar com os comentários é que não: são a melhor parte do blog. sinceramente não há nada como entrar no blog e ver novos comentários. nem que seja pra me mandar à merda (e ao Tente também, que ele merece mais do que eu!), força nesses comentários!

    By Blogger Gustavo, at 8:47 da tarde, julho 23, 2006  

  • No meio de um blog com tantos gajos atrofiados, finalmente vi um pensamento acertado! Grande essa ideia do Sr. Gustavo de mandar este bloguistas das distritais a um certo sitio...
    Sr. Tentini ou Sr. Tente (não deve haver muita diferença) porque não segue o conselho do Sr. Gustavo! Vá...

    By Anonymous Anónimo, at 1:33 da tarde, julho 25, 2006  

  • Vá... Mas vá mesmo...

    Ass: Ramboide

    By Anonymous Anónimo, at 1:34 da tarde, julho 25, 2006  

  • ó Tente não percebi que mal fizeste mas aguenta!

    olhem: "bloguista das distritais" o que significa?

    By Blogger Gustavo, at 10:55 da tarde, julho 25, 2006  

  • Perdoai-me perguntar Sr. Ramboide... Para ir aquele sitio, desejava saber onde posso encontrar a Vossa Excelência?

    By Blogger Tentini, at 10:05 da manhã, julho 26, 2006  

  • É pá ò "Ramboide" ou devo dizer "Bloguista da 1ª Liga" (leia-se: Bloguista Profissional)´, para profissional "auto-intitulado" escondes-te atrás do anonimato? Não me pareces nada superior a ninhum dos bloguistas deste "sítio".
    O 25 de Abril deunos destas coisas... cada um pode dizer o que quer... tens sempre uma escolha... mudar de canal!
    Quando algo não me agrada, em democracia o que faço é não ligar e deixar de ver, ou ler! Agora ofender não me parece o caminho indicado, senão vejamos a actual guerra na Faixa de Gaza! Gajos como tu que não respeitam opiniões deviam ser presos, devia a Assembleia da República emanar uma lei que proíba a ofensa... mas como não há leis mcontra isso.... VAI TU!
    Ass. João Paulo Nunes Marques BI. 11314001 AI de Coimbra

    By Blogger jp, at 11:51 da manhã, julho 26, 2006  

Enviar um comentário

<< Home