OCINÓRI - A Tasquinha do Irónico

terça-feira, fevereiro 13, 2007

O DIA DE CAÇA… AOS POMBINHOS!


Como é lindo o dia de amanhã… O dia dos namorados!
Esta época é tão delirante! Como rejúbilo com essas palavras de amor e promessas a longo prazo que até enjoam um bom samaritano! Que lindo juramento!
Ora deixa-me cá ver… é o pensar na prenda, é o executar a compra, é o jantar, são as juras de amor eterno e fidelidade segura em alicerces de lama, é o entregar do bem material em prova de vários sentimentos… é o namorar até que a noite se encerre nos maiores (ou menores) segredos! Atenção aos mirones ou voyeurs… Eles andam aí!
Isto sai caro…
Os neurónios são poucos, a paciência nenhuma, o dinheiro não existe e é tudo tão caro! Voltamos ao lufa-lufa das corridas frenéticas aos centros comerciais… os estacionamentos a abarrotar, as montras engomadas por uma baba espessa de quem estaria pronto a mostrar o seu amor pelo tamanho do preço da prenda… os empurrões, as confusões, as apalpadelas subtis!
O contar das moedas pretas que se guardou do natal…
Depois arranja-se um bom restaurante… bom… bom não sei? Já devem estar todos cheios ou… caso se tenha feito a reserva com 2 meses de antecedência!
Resumindo, jantar amoroso, belo, sensual e afrodisíaco num local a que podemos chamar de pop-chunga (ou pop-xunga) …
Idílico!
No final “arrota” grosso para pagares a comida e a gorjeta ao gajo que apalpou a tua namorada e que te deixou com ciúmes porque a ti não te tocou!
Que lindas juras de amor dos jovens e menos jovens casalinhos armados em pombos, que durante a deliciosa ceia vão tendo pensamentos de masturbação mental… é algo delicioso… para se atingir o clímax!
São juras que serão sempre fiel… até que o dia se acabe… Ou se conseguir ir mais longe, vamos chegar aos 5 anos de casamento, onde a barriga do homem cresceu tanto que serve já de suporte para a cerveja e o rabo da mulher que alargou tanto, que mais parece uma moto d’água quando ele só sonhava (quando jovem) com o kit de salvação dela!
É tão lindo ver o amor no ar! Os olhares cúmplices do momento… e o piscar de olhos nos outros dias como se tratasse de uma versão de terror da arte de bem engatar! Lindo!
Não vou falar da noite… deixo esses momentos íntimos para os móteis, lugares escuros e parques de estacionamento!

Desculpem… Não… Não é azia!

É só desprezo por mais uma mente brilhante que acabou de estragar uma boa homenagem aos namorados!
Este dia tornou-se num consumismo desenfreado que abunda e tresanda na nossa sociedade… até porque, o dia dos namorados, as prendas, os jantares e as juras de amor são sempre quando os pombinhos queiram (onde é que eu já ouvi isto?)!

Começou o primeiro Natal de 2007… Boas festas a todos… “e volta e meia vão aparecer gajas nuas!”

11 Comments:

Enviar um comentário

<< Home