OCINÓRI - A Tasquinha do Irónico

quarta-feira, agosto 13, 2008

FIM DE SEMANA NO CAMBODJA

Ainda não te esqueci.
Lembro-me da tua voz, das tuas bocas foleiras, da tua sinceridade, do teu mau feitio, dos memoráveis arrotos (oops: inconfidência?), dos teus sapatos, do casaco preto de ganga, do fatinho no meu casamento, do Manel ao teu colo, de dares uvas ao Mocas para o ensinar a sentar, das folhas de plátano queimadas no half-pipe, da nossa absurda ruptura com as “p#tas”, do professor Mota, do Freixo: o Vitor a cuspir-me nas mãos, o Malagueta (nas palhas deitado), o Puto, a Susana, o Vietname que fizémos e o garrafão com traçadinho e a bucha de atum com cebola, as mulheres no clube a perguntar se eu estaria vivo (coitadas!), do teu cabelo até aos ombros, das futeboladas no Norton de Matos, do miraculoso ananás do teu avô e dos teus soluços com o som da terra a cobri-lo no caixão, das bilharadas no Sr Artur - foram tantas!, do moche no States, ai as cartadas no Abismo!!, as Queimas, de tanta tanta coisa.
Não sei como me lembro de tudo isto e mais ainda. Não sei até quando. Ainda não esqueci.


Da tua amizade

E hoje:
Ó c#r#lh#! Isso é uma passadeira, não uma paseadeira – mexam-me esses cúúús


... ai que vergonha....

5 Comments:

  • sabes, acredito cada vez mais na atenuação e cada vez menos no esquecimento. :)

    By Blogger Ana, at 5:30 da tarde, agosto 13, 2008  

  • Continuas nos nossos corações.

    Para ti Gustavo, não passarei de uma desconhecida, mas era amiga dele. Aproxima-se uma data de recordações tristes para todos os que tiveram o privilégio de o conhecer.
    Gostava de ter o teu mail, pois possuo 32 textos com poesia, textos e pensamenteos que ele me ofereceu.
    Talvez possamos partilhar alguns, com os que aqui, no blog, avivam a sua memória, contudo não queria envia-los em linha aberta.
    Obrigada.
    Susana
    (sutav@sapo.pt)

    By Anonymous Susana, at 3:31 da tarde, agosto 22, 2008  

  • Venho cá quase todos os dias... confesso que não estva à espera desta... Gustavo, ninguém o esquece, ninguém o esquecerá porque ele era e é inesquecível.
    Acho que era a ele que o socrates se referia quendo disse a frase: "Porreiro pá!"
    São tantas as saudades...
    P.S. O Mocas está doente... mas ele é rijo e continua a ladrar a quam passa!
    Akele Abraço

    By Blogger JP, at 5:02 da tarde, agosto 26, 2008  

  • Por milhões de anos que passem, por inúmeras tempestades que atravessem as nossas vidas, pelas maiores alegrias que nos aconteçam e por maiores que sejam os nossos insucesso jamais quem o conheceu como nós irá esquecer porque isso é de todo impossível. Partilhemos as alegrias que era, por certo, a sua maior vontade.
    Abraços a todos...

    By Blogger Pegassus, at 2:10 da tarde, agosto 30, 2008  

  • Faz hoje um ano... Um ano que perdemos a companhia de um grande amigo.
    O amigo de todas as horas, aquele que nos chamava à razão, quando era preciso, aquele que dava uma gargalhada oportuna para quebrar o silêncio... ou a tristeza.. Aquele que no dia 1 de janeiro começava o ano a beber uma mini e a comer uns camarões... eheheh
    Sinto a tua falta amigo :)

    By Anonymous Vânia, at 10:00 da manhã, setembro 01, 2008  

Enviar um comentário

<< Home