OCINÓRI - A Tasquinha do Irónico

segunda-feira, março 27, 2006

Sangue Novo!


É sempre a mesma coisa! Quatro em quatro anos temos eleições para as Autárquicas. Quatro em quatro são as eleições legislativas e as Europeias e cinco em cinco anos vamos escolher uma só pessoa que leva para a sua “residencial” um rebanho de ovelhas domesticadas à espera de aprenderem algum número para embelezar o circo político!
É sangue novo!
Comecei a fazer contas de cabeça e imaginem só.... no corrupio de cadeiras que há a seguir a uma eleição! Sejam elas quais forem! São aqueles que entram por cun... opss, por mérito próprio e aqueles que vão embora depois de se servirem – enganei-me outra vez – que se vão embora depois do Estado (ou qualquer outro órgão) se servir destes humildes servos. Nhã coitados!
Repito – Coitados!!!
Os vencimentos são baixos, as responsabilidades são enormes, não têm imunidade, nem viagens para o Brasil, nem contas na Suiça, não ganham horas extras, as despesas de representação (engraçado, representação é sinónimo de politica, sabiam?) é por conta deles, não há prémios ou subsídios de reintegração, não podem entrar na função publica só para pedirem a reforma (e as reformas vitalícias? Já falei?), nem direito (e aqui ainda fico mais indignado) a job for the boys e blá blá blá....
É sangue novo!

É preciso sangue novo a seguir a cada eleição...
Uma boa justificação para tanto corrupio é que é preciso sangue novo, acabar com os velhos (vícios) e dar lugar aos novos (fica ao vosso critério porque abri parênteses). É sangue novo!
Por isso eu pergunto, o Estado não controlaria melhor o défice público e pouparia uns trocos, se deixasse de andar sempre neste corrupio de cadeiras e comprasse umas tantas máquinas de hemodiálise?

Afinal, a seguir a cada eleição é mesmo necessário Sangue Novo....
(Texto de RTente (Tentini) - Março 2006)

4 Comments:

  • Nada é perfeito;)É preciso melhorar e também é necessário ter em conta que nesse "Sangue Novo" há, por vezes, verdadeiro Sangue Novo... Ao generalizar estamos a dizer que tudo é mau... nem tudo é mau...continuo a achar que há esperança:) Em qualquer democracia do mundo existe corrupio após cada eleição (talvez nem tanto como na nossa,ainda "recente" democracia, mas existe. Incompetentes que ocupam lugares de competentes, cunhas,enfim... Não quero com isto justificar o que se passa em Portugal, mas não podemos sempre dizer que somos os piores em tudo. Também nos cabe a nós (menos velhos)tentar dar um rumo ao país onde vivemos: pedir o livro de reclamações e escrever a reclamação (deixar de refilar, refilar, refilar e nada fazer de concreto), impugnar concursos públicos que não seguem os critérios estabelecidos (e não deixar passar porque dá muito trabalho e há muito papel para preencher), etc. Há um sem número de pequenas acções que não tomamos ao longo da nossa vida que, sem darmos conta, ajudam esse Sangue Novo de que falas a ocupar posições com as quais nem deviam poder sonhar...
    Desculpa o lençol, mas estamos sempre a criticar e por vezes canso-me.
    Boas escritas irónicas:)Vou andando por cá.

    By Anonymous Ana Cunha, at 5:28 da tarde, março 27, 2006  

  • Bom, entendo a indignação que neste pontual levas a um píncaro; não obstante, e sei que não serve de consolo, estejamos conscientes que não somos piores do que o que se passa no exterior. Nem isso é dito no poste, entenda-se. Bem sabes os pensamentos que partilhamos.
    Já agora, gostaria de acrescentar INCUBARORAS às máquinas de hemodiálise.
    E hoje anunciaram 333 medidas para a desburocratização!!!! 333!!! ... podiam ser só 222, não é? As que vi, parece-me bem.

    By Anonymous Gustavo, at 8:30 da tarde, março 27, 2006  

  • ora então já cá faltava o meu comentário!= ) É, não tamos lá muito bem servidos no que toca aos respeitosos traseiros que se sentam nessas "dignas" cadeiras, mas nem tudo é mau, o sangue, o verdadeiro SANGUE NOVO existe, embora todos saibamos que, ou não têm hipótese alguma, ou são simplesmente arrastados e corrompidos pelo velho sangue, e quando vão dar conta já tão todos a necessitar da diálise. Não é uma questão de pessimismo ou optimismo, mas na minha modesta opinião temos por cá gente com esse tal verdadeiro sangue novo e que espera realmente fazer algo por este cantinho da Europa!!! Grande abraço Tentini!!!

    By Anonymous N.Garcia, at 12:30 da tarde, março 28, 2006  

  • É curioso. De forma não intencional procedo a uma deriva semântica. De facto vislumbra-se por todo o lado verdadeiro 'sangue novo', que se revela verdadeiramente perturbador. E vai-se infiltrando, paulatinamente, por todos os estratos da sociedade. Acabou definitivamente a normalidade estática. A nova cidadania exige a transfiguração dos estereótipos. Resulta desse facto novo uma abordagem diferente das possibilidades mundanas, muito mais apetecíveis, mais sugestivas, mais demolidoras. Os exemplares emergentes apontam-nos o caminho. o outro lado da cidade adormecida. Apetece dizer: empurrem-me para o doce precipício, metam-me na longa gruta da vida.Este sangue novo precisa de peso em cima, anseia por novas experiências explosivas. E nós queremos ser os patronos do novo ser. Dixit...

    By Anonymous Anónimo, at 3:27 da tarde, março 30, 2006  

Enviar um comentário

<< Home